Projetos

Os melhores projetos com Raspberry Pi

O Raspberry Pi foi a semente de toda uma “revolution maker“, e ainda que originalmente este miniPC tenha sido concebido como uma solução orientada a ambientes educativos, as suas possibilidades e prestações converteram-no na base de todo tipo de projectos hardware, para projetos mais originais.

Ainda que haja literalmente centenas de ideias protagonizadas por muitos criativos, eu quis fazer uma lista com os melhores projetos com Raspberry Pi que consegui encontrar. Como em qualquer lista, o importante é que esta é simplesmente uma amostra sobre o que é possível conseguir com o Raspberry Pi: se conhece projetos destacados, está mais que convidado a comentá-lo para os descobrirmos todos..

Uma consola retro que provoca nostalogia

Recuperar o encanto dos grandes clássicos da história dos videojogos é possível graças a desenvolvimentos que aproveitaram os benefícios do Raspberry Pi para esta finalidade. Desenvolvimentos como o RetroPie ou o EmulationStation vêem precisamente orientadas a este propósito, mas há projetos ainda mais específicos que combinam esse software com o hardware.

Um deles é deste revelador chamado Philip Burgess que combina o Raspberry Pi com uma distribuição Raspbian e a instalação de vários emuladores -a estrela é o MAME4ALL– com um joystick e dois botões da máquina recreativa que permitirão conectar esta miniconsola portátil a qualquer monitor ou televisor via HDMI para jogar umas partidas de forma muito simples.

A digitalizar em 3D

Este projeto é especialmente ambicioso e sobretudo dispendioso, mas a revolução das impressoras 3D é cada vez mais patente e poderemos usar os Raspberry Pi como um meio de digitalizar objetos em 3 dimensões para depois poder imprimi-los com este tipo de dispositivos. O projeto utiliza 40 Raspeberry Pi com 40 Pi Cameras, além de 40 cartões SD e 1 fonte de alimentação de 60A e 5V para dar corrente a todos os RPi.

Na realidade, explica o autor do projeto, não são necessárias 40 RPi, mas se utilizas mais câmaras, o resultado da digitalização será mais preciso. O tamanha do projeto é especialmente destacável confirmando que é possível digitalizar a qualquer pessoa, por exemplo, como demonstrar o autor. Necessitaremos de uma armação com uma estrutura de madeira a onde colocaremos os RPi com as câmaras para obter os surpreendentes resultados finais. E se necessitar de uma impressora 3D em que o RPi tenha um papel protagonista, aqui tem a iBox Nano.

Usar este miniPC como um Computador Pessoal

Os Raspberry Pi originais ofereciam prestações suficientes para todo tipo de pequenos projectos, mas os recursos hardware eram modestos. Com o Raspberry Pi 2 isto mudou, e essa CPU quad-core unida à memoria RAM de 1 GB fazem com que o uso do RPi 2 como computador de mesa seja muito mais interessante.

Não será o PC mais rápido do mundo, mas dificilmente haverá algo que possa competir em preço/prestação.

Um Media Center perfeito na tua sala

É inevitável mencionar que provavelmente é a orientação mais popular entre os utilizadores “convencionais” do Raspberry Pi. Converter este miniPC no nosso particular servidor/reprodutor de conteúdos multimédia é agora tão frequente que existem todo o tipo de projetos que reforçam esta oferta. Há diversas propostas de software (OpenELEC, Xbian e OSMC são claramente destacados e aproveitam todos a potência de Kodi/XBMC) mas também há todo o tipo de guias para conseguir tirar partido desta função.

Montar um pequeno HTPC ou Media Center baseado nos Raspberry Pi é realmente simples. Existem imensos de recursos como este para consegui-lo, e podemos potenciar essa capacidade com algum outro elemento hardware adicional como pequenos módulos hardware para adicionar saídas ópticas e S/PDIF se queremos ir um passo mais além.

Até ao infinito e mais além com Pi in the Sky

Dave Akerman é um utilizador que ficou famoso na comunidade de criadores de projectos realizados com o Raspberry Pi pelo seu particular objetivo: mandar o RPi ao espaço. O projeto começou em 2012 e ele melhorou este tipo de projetos que agora são acessiveis a quase utilizador com um mínimo de interesse e uma modesta quantidade de dinheiro para o equipamento adicional.

O resultado pode ser impressionante em todos os âmbitos, incluindo o educativo. Ao Rpi convencional, soma-se um módulo que inclui uma antena GPS, uma antena especial para ampliar a receção e uma serie de baterias para manter o RPi alimentado o máximo tempo possível enquanto está ligado aos globos especialmente desenhados para levar o Raspberry às alturas.

O programa RPi in The Sky converteu-se num clássico e há imensos recursos para meter estes miniPCs em órbita. Já existem projetos especiais para proteger o Raspberry Pi para enfrentar a sua particular viagem espacial.

Lightberry, ambientação LED caseira

O sistema de iluminação Ambilight de Philips é um dos seus claros valores adicionados em televisores e essa ambientação que proporciona pode ser emuladaa pelo Raspberry Pi e um conjunto de LEDs através de um processo relativamente simples que qualquer pode colocar em marcha. O projeto Lightberry pê em nossas mão tudo o necessário para conseguir um efeito espetacular ao desfrutar da televisão.

Um móvel baseado numa Raspberry Pi

Nem todos os projetos têm como resultado um baixar os custos no que diz respeito a soluções comerciais, mas em muitos casos o objetivo não é esse, mas sim demonstrar o que pode ser capaz o miniPC. No caso do PiPhone, um projeto de um criador chamado David Hunt que unio o Raspberry Pi com um ecrã tátil da AdaFruit e um módulo GSM/GPRS que permite realizar e receber chamadas através deste singular miniPC.

O PiPhone não pode competir com os smartphones atuais, mas pode ser uma ideia interessante para experimentar com este tipo de dispositivos de comunicação sem estar sujeito às restrições hardware e software dos fabricantes tradicionais. O desenho é tosco e o custo final ronda os 160 dólares, mas de certeza que este é muito mais divertido para muitos utilizadores.

Uma estação meteorológica muito precisa

O Raspberry Pi também permitiu servir como centro de gestão de todo o tipo de sensores, e entre eles estão aqueles que podem situa-la como centro da nossa particular estação meteorológica. A informação reconhecida pelo RPi pode logo ser mostrada em todo o tipo de dispositivos como um ecrã simples.

O projeto da estação meteorológica gerou muito interesse por parte de empreendedores que agora, inclusivo, comercializam modelos já preparados como AirPi para actuar desta forma e mostrar todo o tipo de informação: temperatura, humidade, pressão do ar, níveis de luz e radiação ultravioleta, níveis de monóxido de carbono ou de dióxido de nitrogénio, etc e tudo isso para, em seguida, ser compartilhado com os nosso dispositivos via Internet.

Do servidor web ou de Email

A estreita relação que existe entre o Raspberry Pi e o Open Source fez com que tanto o sistema operativo GNU/Linux como todos os seus componentes possam formar parte “natural” deste dispositivo. Por essa razão, é possível fazer com que estes miniPCs se convertam como pequenos mas funcionais servidores em muitos terrenos.

Deste modo podemos montar servidores web, servidores de email, um servidor de download BitTorrent, servidores DLNA para conteúdos na nossa rede doméstica, e outras muitas opções. Especialmente interessante parece ser o seu lançamento como um servidor de anonimato através de Tor. Tratar de esconder o que fazemos na Internet parece cada vez mais importante devido ao esforço das agências de inteligência por espiar tudo o que fazemos. Inclusive, há kits exclusivamente criados para esta tarefa, o Onion Pi é um dos mais conhecidos.

Uma emissora FM ao seu alcance

Se quisermos converter-nos em pequenos Djs que as rádios próximas recebam o sinal que emitimos, podemos utilizar o nosso Raspberry Pi como uma emissora FM com um cabo simples que atua como antena e um script em Python que permite executar a reprodução de audio.

É necessário ter em conta que, embora possamos emitir em frequências que vão de 1 MHz a 250 MHz, o ideal é emitir em frequências FM padrão (dos 87.5 MHz aos 108.0 MHz) e faze-lo também respeitando as emissões das emissoras oficiais com licença. Como experiência, desde já, resulta muito bem montarmos uma festa particular na qual coloquemos nós a música sem problemas.

Controla a alimentação do teu animal de estimação enquanto esta fora de casa

Agora que as férias se aproximam, chega o dilema do que fazer com os animais de estimação e frequentemente, há situações em que é necessário deixá-los em casa ao cuidado de algum vizinho ou familiar que os alimente de vez em quando. No entanto, o Raspberry Pi pode-nos ajudar à situação como um sistema de gestão da alimentação dos nossos animais.

Foi o que fez um criador chamado David Bryan, conhecido pelo seu Power Cat Feeder, um sistema que permita-lhe alimentar os seus gatos sem problemas quando vai de férias. O sistema conta com um grande depósito e um sistema mecânico controlado pelo Raspberry Pi para ir oferecendo as doses de comida adequada em cada momento. Sempre podemos adicionar outros elementos a este projeto como umas cameras de videovigilância controladas também por RPi, para ter acesso ao que ocorre na nossa casa.

Recuperar o encanto dos Gameboy

O entretenimento puro que oferece uma consola portátil como o velho Gameboy é indiscutível, mas o Raspberry Pi permitiu recuperar o encanto destas consolas com projetos como Super Pi Boy, que permitem reaproveitar as caixas destas consolas para convertê-las em dispositivos mais potentes e mais divertidos.

O mesmo ocorre com PiGRRL e a sua versão mini, que também oferece essa capacidade e também recupera o encanto destas consolas podendo também ligá-la a controles clássicos da SNES para poder desfrutar não apenas de ROMs do Gameboy, mas de outras consolas ou do emulador MAME nesse pequeno ecrã.

Aprender a programar, entre as suas muitas orientações educativas

Era também inevitável mencionar que a orientação original do Raspberry é a educação. Estes projetos, servem para aprender novas formas de aproveitar o Raspberry, mas entre as suas opções nativas está esse aproveitamento como ferramenta de aprendizagem de linguagens de programação.

 

Há todos os tipos de opções a este respeito, mas certamente um dos mais conhecido para Raspberry Pi é Scratch, uma linguagem de programação projetada para os mais pequenos para ajudar a compreender os conceitos básicos deste tipo de educação e tornou-se uma referência neste tipo de dispositivo.

Gostaram deste artigo ? Deixem o vosso comentário no formulário a baixo.

Não se esqueçam de fazer like na nossa página no facebook.

Todos os produtos utilizados neste artigo podem ser encontrados na loja de componentes eletrónicos ElectroFun.

Comments

comments

Deixar uma resposta